mne

A Comissão Europeia anunciou hoje o fim das negociações do Acordo UE-China sobre proteção das Indicações Geográficas, iniciadas em 2010.

Trata-se do primeiro Acordo comercial que a UE celebra com este Parceiro estratégico, sendo um sinal político relevante de abertura das Partes para a celebração de outros Acordos. A China é o segundo destino para as exportações de produtos protegidos como Indicações Geográficas da UE.

O Acordo garantirá um elevado nível de proteção das Indicações Geográficas da UE no mercado chinês, numa matéria muito relevante para Portugal, e resultará em benefícios comerciais recíprocos.

Portugal tem seis Indicações Geográficas (Pêra Rocha do Oeste, Vinhos do Alentejo, Dão e Douro, Porto e Vinho Verde) entre as 100 a proteger desde a entrada em vigor do Acordo, que se prevê venha a ter lugar até final de 2020.

Nos quatro anos seguintes, a proteção alargar-se-á a mais 175 Indicações Geográficas europeias, tendo Portugal sete produtos nessa lista (Azeites de Moura, Trás-os-Montes, Alentejo Interior, Presunto de Barrancos/Paleta de Barrancos, Queijo S. Jorge, Vinho da Bairrada e Vinho da Madeira).

Lisboa, 7 de novembro de 2019

  • Partilhe